Bem-vindos à nova dimensão... seqüenciador de sonhos online.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Navegantes

São multidões sobre galés imensas. Balançando por entre ondas e pedras, sentindo o vento soprar sal em suas faces. Do topo do mastro, todos os gritos são de aviso. Perigo e medo. Cada puxar dos remos vindo da batida de um tambor imenso. Cada chibatada, uma risada aberta às costas.

É um mar de Leviatãs despertos, espertos, balançando tentáculos imensos e esticando-se em um espreguiçar, bem sob seus pés. Arriscando derrubar os algozes de seus tronos, para detroçar tudo em seguida, num naufrágio violento. Devorando tubarões moribundos e baleias já anciãs. Os sons do desespero apenas vencidos pelo bater do tambor.

São isso, naus pulsando impulsos pelo azul infinito, sobrevivendo em cada volta, a cada redemoinho. Remando sem olhar para trás. Seguindo meio a maré, meio as voltas de seus braços. Existindo, como se apenas existir lhes bastasse. Admiráveis em todo seu esforço, em cada gota de suor.

Olhassem em volta, veriam o quanto são enormes, tão maiores que seus captores… mas tão menores que seus Leviatãs.


Leviathan, de *r7ll no deviantART.

4 comentários:

Tyr Quentalë disse...

Soberbo, Sombrio. Maravilhoso. Foi gratificante ler este seu conto, meu caro.

Valéria Sorohan disse...

Por vez me sinto esse navegante. Existindo, como se apenas existir me bastasse. Caiu como luva no momento para mim.

Beijo, meu caro amigo!

DEXPEX_{Amar Yasmine} disse...

Teus textos são magníficos, sempre gostei de te ler. Ainda bem que encontrei o blog.

Escreva sempre e mais.. Boa sorte!

*;-)


DEXPEX_{Amar Yasmine}

Troll disse...

TYR:
Era algo que vinha borbulhando à mente, nos últimos tempos. Um medo de Hobbes e seus Leviatãs.

VALERIA:
Às vezes, isso é algo que pode nos confortar, não acha? Pq é simples. E ser simples anda tão complicado...

AMAR:
Um imenso prazer vê-la aqui, sempre, minha cara. Espero q volte, sempre que houver vontade.