Bem-vindos à nova dimensão... seqüenciador de sonhos online.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Bom dia *refletindo-se no espelho*

Era manhã clara de dia ensolarado, aquele céu azul que nem filmes conseguem te mostrar, por mais que tentem. Nenhuma nuvem, só aquele jeitão de frio com calor do sol. Um dia fresco, bom e curioso. Porquê curioso? E isso interessa, à nossa história? Não, não, quem dita aqui sou eu, narrador. Você senta e lê ou troca de página, mas essas palavras são minhas. Só por mera convenção, que você é influência, pequena que seja, sobre o que estou digitando, então dá licença? Seu único poder é o controle remoto, mas esse texto ainda estará aqui, quando você mudar de canal.

Enfim...

O terno combinava com o carro, que combinava com a mochila, que combinava com as pupilas dos olhos. A gravata combinava com a íris, que se compunha bem com a camisa e dava um aspecto geral muito bom. Só não combinavam a avançada calvície com a idade nem o ar sério de toda a roupa com a pauleira desenfreada no carro, mas tudo bem. Para as pessoas nos carros ao redor, isso era um problema passageiro. Para ele, catarse. Pretendera estar em seu destino às 8h. já eram 8h25 e estava ainda a seis quadras do lugar. O rádio tentava consolá-lo: "O trânsito está ruim pela cidade toda, a Comlurb tem dois caminhões tombados em grandes vias, impedindo a passagem." Era o consolo de ver que aquilo era um problema de todos... é verdade que miséria quer compania, afinal, mas ele não fazia questão de saber que o inferno não se resumia só àquela rua.

Ainda assim, era o céu de um dia agradável e isso o acalmava quase tanto quanto os berros junto à voz do vocalista, nas caixas de som do carro. Atender o telefone não lhe faria muito bem, então simplesmente ignorava as duas primeiras ligações. A terceira, no entanto, soava importante e ele alcançava enfim o bolso interno. "Dois funcionários faltando e um avisou que chega atrasado." Claro, isso no dia que ele não estava lá. E porque não? "Um no telefone, três na recepção e boa sorte. Mudem os turnos de almoço e pelamordedeus jogo de cintura, por aí." A voz do outro lado não soava muito reconfortada, mas compreendia a situação e tentava acalmá-lo. Pra sorte dela, ele já estava calmo.

"Tudo dando errado, né?" A voz vinha de dentro do carro e ele apenas sorria, pensando no tom daquela pergunta e qual seria o melhor para uma resposta. Não precisava nem falar, de tão alto que a certeza ecoava em sua mente. Não, não era tudo dando errado. Eram os imprevistos contornáveis, de um dia que vinha cobrar alguma atenção, para que ele não se dispersasse demais na beleza daquele céu. Eram as coisas tomando rumos novos, mas tão certeiros quanto a mente dele se deixava ser, nas soluções que vinha tentando encontrar desde que acordara. Era nisso que ele era bom. Era isso que ele faria. No linguajar tipicamente "bullshit" administrativo, o tinham como um provedor de soluções.

Passaria daquele dia, sabia que ele terminaria tão bem, de alguma forma, que todos aqueles problemas pareceriam ridículos, ínfimos. As vantagens de todo o caos do trânsito surgiam na forma de vagas para escolher. Uma à sombra, por exemplo, tão perto de seu destino que acomodava o carro com aquele jeito certo. Os clientes ainda não haviam chegado, presos no mesmo trânsito de que acabara de sair. Acomodava-se e decidira aproveitar o tempo.

Abrindo o laptop, decidiu que escreveria uma crônica sobre um ótimo começo de um dia promissor.

Bom dia, leitor ou leitora.

10 comentários:

Tyr Quentalë disse...

Bom dia meu caro Troll,
O descrever do dia a dia e suas "dificuldades" mostram o quanto a vida pode ser simples mesmo nas dificuldades capazes de fazer muitos perderem a compostura. É nessa tranqüilidade da alma que controlamos o Destino e tornamos o dia promissor mesmo com as cartas marcadas que tentam nos trapacear.
Gosto dessa paz que vai tomando conta e do sorriso que se assoma aos meus lábios em suas conversas que mostram que o importante é estarmos bem com nós mesmos.
Um ótimo dia e sus palavras inspirem muitas outras pessoas mais.

Nanda Nascimento disse...

Ver os dois lados de uma situação é o que diferencia as pessoas, e determina seu dia.

E mudar de canal é impossível diante de suas crônicas.

Beijos e flores!

A Senhora disse...

Bom dia, nino!!!

E olha que cheguei bem atrasada!!! :))

Beijinhos, querido

Van disse...

Moço inspirado.....
Deixo-te um beijo e uma reverência!

;)

Poisongirl disse...

Espero que a premissa de um bom dia não tenha se frustado Anjo.

Sempre bom lembrar do dião lindo que teve o relação públicas da Comlurb rsrsrs.

Te amo mais.

Troll disse...

TYR:
Acho que tem dias q vc precisa ser e estar imune às agressões dos imprevistos e à problemática alheia.

NANDA:
Acho q olhar pro lado é necessário, certas horas, mas nem sempre. A curiosidade de vez em quando faz bem, alimenta. E sobre mudar ou não de canal, caríssima, bom ver q tem gente q ainda não tem controle remoto e fica com preguiça de ir até o aparelho apertar o botão. *rs*

MAMA:
Todos os ótimos dias para vc, sempre, mamys.

VAN:
Ultimamente, sabe, a inspiração tem vindo de uma certa musa que me faz muito bem. ;-)

POISON:
De maneira alguma aquele dia me frustou, amada. Bem longe disso, aliás... graças e uma certa presença, mesmo no meio da semana.
Te quero, sempre. Te amo bem mais.

Mai disse...

...Duas ameaças e uma tentativa de ser um dia de céu.
Céus deveriam vir ao chão nessas horas e ai o 'olhão verdão' flutuaria em um daqueles
'jet-ferrari-air', à baixa altitude, suficiente para se livrar dos arranha-céus.

Depois disso, só mesmo correr para os braços de tua amada e relaxar que ninguém é deferro, nem o Rei Troll.

Abraços,

Mai

Wolf_Angel disse...

o cotidiano é uma oficina de ideias (com ou sem acento e assento ou vagas nas ruas)
ótima divagação sobre o monopólio da escrita no início do texto.
sopros de luz
=***

Fabio Fernandes disse...

Bom dia.
Chego no trabalho, e decido atualizar meu blog, e visitar os do meu blogroll, abro o seu e fico puto da vida com uma música absurdamente alta. Sugiro, humildemente, que você dê uma opção para apertarmos o play caso queiramos. Sei que a trilha escolhida sempre é de boa qualidade, mas nem sempre combina com o que ouço no momento q entro no seu blog.. e nem sempre combina com o volume que minhas caixas de som podem tocar para a empresa toda ouvir.

Às vezes pensamos em todos os problemas de uma vez só, e ficamos meio perdidos por não achar soluções. Mas se vc colocá-los em fila, e pensar numa solução pra cada, fica fácil.. e dá pra perceber q nem eram tão complexos assim..

Abraço.

Troll disse...

MAI:
Ninguém é de ferro, mas tem horas que eu sou quase. É quando no mergulho vc afunda rápido demais, por conta do peso q vence a densidade. Sou de ferro quando decanto da vida e vou parar no fundo de algum copo.

Pq o bagaço flutua, mas eu não.

WOLF:
Acho que do dia-a-dia vc tira muito mais que da própria imaginação, certas horas. Mas vale mais gostoso ainda misturar os dois.

FABIO:
"Nosso departamento de marketing e satisfação já foi informado de seu protesto e uma resposta será emitida em breve, agradecemos a atenção, Senhor." OK, vamos ao lance da música... já tirei e reclamaram pq descobri q tem gente q abre o blog só pra deixar aberto, tocando. Já ouvi gente reclamando dela, tbm. Já criei uma enquete a respeito e deu empate entre "deixar como está" e "tirar de vez". A opção "deixa, mas coloca opcional pra começar" só teve um voto. Não sei o q faço, sinceramente.

Quanto aos problemas, acho q o segredo é sempre atacar um de cada vez, não? *rs* É como me safo de todos, ou quase...