Bem-vindos à nova dimensão... seqüenciador de sonhos online.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007

Esquizofrenia *na longa madrugada*

- Por quê às vezes dói, assim?
- Não sei... mas quando dói, é por que se ama, não é isso?
- Ah, sim, é isso mesmo.
- Então reclama dessa dor, não. Por que se a sua aumenta, a outra pessoa sente. Se ela sente doer em você, vai se sentir culpada e achar que também precisa doer nela.
- Ah, mas eu não quero ela doendo! Quero-a sorrindo, sempre, é tão linda!
- Então sorria... se pelo amor a dor passa, imagina a alegria! Não importa a distância, sorria sempre, sorria por ela. Lembre-se do quão gostoso é amá-la.
- Então tá. Promete que ela vai saber que eu rio?
- Prometer não prometo... mas se vc acreditar, já te valerá o teu sorriso.
- Acreditar? Sorrir é um ato de fé?
- Não quando se ama...
- Aaaaaahhh... não entendi.
- Pois é, por isso é amor.
- ........... me abraça?
- Não pede a mim, mas a ela. Fecha teus olhos e vai de encontro aos braços que ama.
- E isso não é um ato de fé?
- Fé tem pouco a ver... mas é um ato de devoção.
- E como faço para ir dormir?
- Convence-te de quem te espera em seus sonhos. E saiba que lá ela estará.
- ........... boa noite, então.
- Lindos sonhos, guardião.

2 comentários:

Nanda Nascimento disse...

Que sentimento lindo, amar nos provoca sensações inesperadas, nos tira o chão mesmo, ainda mais em uma época dessa de união, curta esta sensaçaõ pois a saudade também faz bem, e só aumenta a paixão!!!

Beijos e flores!!!

Rainha Sidhe disse...

Não havia comentado antes aqui, mas creio que disse o quanto havia gostado deste conto, qundo leras para mim, por eu estar longe da matrix. Mais uma vez releio este conto e lembro quantas vezes conversei comigo de mesma forma que conversaras contigo e no fim.. sempre sorri, pois a ti todos os sorrisos devem ser dados, meu nome e amado guerreiro.
Com amor, de quem o ama de uma forma grandiosa,
Sua e apenas sua,
Sidhe