Bem-vindos à nova dimensão... seqüenciador de sonhos online.

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Vácuo *troveja o pináculo elétrico*



Breathe
Wake your lungs-
I'm falling fast, no air will come-
I think I've gone too far this time
I crashed the car-
I crossed the line-

Scream-
No one home-
No more Light-
No more me-

"The Body" [Irmãos Gutter]


Reerguer-se.
O impulso das cinzas, em criar forma e se refazer de súbito, abrindo asas para mais uma vez alcançar os céus.
Destruo-me, deixo a fachada dura e impávida descascar, desfaz-se o ego em pedaços pelo chão. Sou essas cinzas, pensando se vale a pena remontar, por um tempo, e mergulho nas lembranças do passado e possibilidades do futuro. Nesse labirinto de me esquivar dos "se eu tivesse" e "se eu tiver" da vida, procuro-me em vão, nos vãos, por vãos. Percorro os sulcos da alma como se deslizando pelas chagas do coração.
Nesse mergulho em mim, descobrir cada nova faceta da tola insegurança de ser incompleto. Temores de uma sede que só pode ser saciada em mim mesmo... para que erroneamente tanto buscara resposta no olhar e nas palavras além das minhas.



Mas sentir a resposta nascer do peito, do vibrar de certezas incertas, porém minhas. A pretensão de saber tudo destruída, para deixar nascer um novo olhar. Me desfiz, me desfaço e me desfarei, pra mais uma vez voar, antes que o chão desapareça de sob meus pés.
Não precisar de chão, não mergulhar no vazio, mas por vezes estender a mão.

Toda a decepção que (quando) restar será a da mão vazia, não a falta de ar.

6 comentários:

Tyr Quentalë disse...

Das cinzas ressurge um novo ser, de certezas em cima de incertezas. Feridas que cicatrizam e que não mais abrirão um dia, por conta de tolices que não deviam ter existido nalgum dia.
Das cinzas ressurge magnânimo, aquele que sempre estivera dentro de seu ser, de sua alma, de você.
Seja bem vindo, Sempre!

iaiá disse...

não conheço sensação melhor que essa, e olha que amo certas coisas deveras intenas, mas ir se encontrando e se conhecendo, aos trancos e barrancos, se reiventando...nada melhor...sim, neste momento somos sós. e é bom.

amei o post. bj

D'angelo disse...

Nossa!!! Isso é viver ao extremo.
Bjo moço!

A Senhora disse...

Deixar-se desfazer para se fazer novo, como a fênix... isso é somente para quem é fênix. E você é.

beijinhos, nino.

Fabio Fernandes disse...

Eternas Fênix. Assim que devemos nos comportar. Pois a vida pára apenas na morte e, até que ela chegue, devemos nos reerguer e enfrentar o quê virá.

Vã insegurança de ser incompleto. Tola por si só.

Abraço,

Troll disse...

TYR:
E de que vale queimar-se em cinzas, destruir-se assim, se não se souber ressurgir novo, com isso.

IARA:
Acho que não dá pra ir aos poucos, com isso. Chega uma hora q só resta mesmo parar e sair despedaçando.

D'ANGELO:
E há maneira melhoR? *rs* Bjos, caríssima.

MAMYS:
Acho que todos temos esse potencial, mas muita gente simplesmente desiste de criar novas asas.

FABIO:
Há qualquer tipo de insegurança q fuja à regra? Há dúvida q a princípio não pareça estúpida?