Bem-vindos à nova dimensão... seqüenciador de sonhos online.

segunda-feira, 23 de março de 2009

Elixir de palavras *coisas a 4 mãos - II*

Publicado originalmente aqui.
Por: Mai e Troll

Os dias são assim, não há sol mas eu canto porque mesmo sob guarda-chuvas, há luz nesse dia. Se em instantes o mundo desaba e o céu cai no chão e sob nossos pés só percebemos abismos, logo ali reencontraremos a paz, no simples beijo, abraço, afago ou no deitar as palavras sobre a cama de papel...Somos assim, peças soltas em nossos próprios quebra-cabeças. Pingentes no mundo, facilmente transformamos um bem-querer em dose extra de uma espécie de elixir mágico em nossas vidas... Doses homeopáticas de um amor alternativo, secreto e recíproco, com o qual se espera poder contar, sempre... Essas são as tais pontes. São pontes, as fontes literárias em que palavras içam-nos, resgatando-nos de abismos, nossos ímpetos silêncios, quase morte em quase vida... E são momentos, fragmentos de tempo, pequenos gestos, singelos fractais e não fossem esses pequenos momentos, pequenas coisas que encontrássemos o significado de ir sendo, que faríamos, que seria do viver? ‘O grandioso é por si. Isso precede sua semiologia. Mas o que há para se extrair de belo e agradável é o pequeno, o cultivado, algo simples com a delicadeza de um beijo. Sim, somos peças soltas em quebras-cabeças nossos, como dos outros, também. Mas Somos maiores nos gestos mais singelos de cada dia do nosso existir. E desse elixir secreto e alternativo, vem o dia nublado ganhar brilho. Não há um sol, mas há luz e eu canto'...

11 comentários:

Domênica disse...

Que lindo! Você escreve muito bem!
Amei!!!!
Beijos

iaiá disse...

e sem doses homeopáticas...é bom apreciar texto tão belo.
beijos

Mai disse...

Rei Troll,

mas não é que ficou bom isso!?
Sabe, é interessante que faço esse exercício com livros que leio. Guardo e depois de algum tempo, uma releitura me mostra coisas que antes não conseguí perceber.

Agora aconteceu algo assim.

Fui lendo o texto com aquele teu 'olhão-verde-lindo', que eu sei, tem dona...
Mas é mesmo lindo, oras...

Gostei muito de reler nossa 'parceria' aqui.

Continuemos a escrever.
Quem sabe, novos textos sejam escritos, tão bons ou melhores.
Na verdade senti-me honrada em escrever contigo.

Carinho e obrigada.

Mai

Troll disse...

DOMENICA:
Muito obrigado, caríssima, mas no caso o mérito não é tão somente meu.

IARA:
Sem doses homeopáticas, sem retidão. A necessidade de se conter é muitas vezes fruto de um medo tão tolo.

MAI:
Sim, caríssima, escreveremos mais, sabes disso. Leremos e releremos e escreveremos mais, não se preocupe. A honra é, foi e será minha, Mai. Bjos.

Sisa disse...

Nossa... lindo. E ficou tão coeso que nem parece que foram duas pessoas. Ficou suave e gostoso de ler. Adorei.

Beijo!

Poisongirl disse...

Juntando vcs dois só podia dar nisso ; poesia de pura qualidade!

-Mai ,esquenta não os zóios é lindo mesmo tem mais é que admirar ,só fica mais orgulhosa.

Amo-te ad infinitum anjo...

D'angelo disse...

Que belo texto!!! Grande pensamento positivo.
Bjooo

Van disse...

Querido,
Tem MEME pra você lá no VAN FILOSOFIA!
Te espero lá.
Beijucas

PS: Tô me deliciando com as músicas do teu player. =)))

Troll disse...

SISA:
Sempre bom receber elogios seus, caríssima. Foi realmente um texto bem fluido e gostoso.

AMADA:
Amor, sabes que nunca fui tanto da poesia quanto da prosa. *rs* Mas me delicio q tenhas gostado.

D'ANGELO:
Sempre um otimista por natureza, caríssima.

VAN:
Linda Van, será como sempre um prazer, atender ao chamado. E ótimo q minha seleção musical agrade seus ouvidos.

A Senhora disse...

Muuuuuito legal! Principalmente pelo astral positivo!

Troll disse...

MAMA:
Já disse e repito, sou um otimista por natureza. ;-)