Bem-vindos à nova dimensão... seqüenciador de sonhos online.

quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Golden Years *de alguma televisão esquecida*

eu-1995

Sempre fui moleque com M de mala. Um fato. Armava das piores para testar meus limites e ver até onde me aturavam, e nossa, tem gente q merece palmas por ter me agüentado tanto. Mas enfim, me chamaram a falar da infância e por isso fico aqui, conjecturando que experiência compartilhar.

Estudei em colégio católico, fiz primeira comunhão e tudo, mas enfim, cresci acostumado aos mesmos lugares e rostos, inclusive ainda moro nesse bairro. Ando pela rua e, criança extrovertida que era, sempre tem alguém que olha pra minha cara e me cumprimenta, ou fala algo do tipo "nossa, te conheço de moleque, né?". Mas o que muita gente não sabe é que minhas memórias começaram em outro lugar.

Sinopi, Mato Grosso. Me lembro de barro, muito barro. Uma cidadezinha que, eu soube, há coisa de menos de 10 anos foi finalmente asfaltada. Também soube que já foi considerada a capital nacional do Motocross. Isso é quanto barro tinha lá! *rs* Mas de lá, me lembro de algumas das histórias mais bizarras, com certeza. Como a vez que chegava em casa, caindo a noite, no carro da Dra (vulgo: mãe) e ela comenta: "Nossa, olha que cachorro enorme tá revirando o nosso latão de lixo!" Quanta gente pode dizer que conheceu uma onça pintada, tão de pertinho? Ah, sim, e meu pai é procurado pelo Ibama. Ou ao menos deveria. Que eu saiba, atropelar um tamanduá bandeira é crime ambiental. Hahahahahahahahaha!

Mas tá bom, tá bom, eu tenho q escolher UMA história, né? Então vou pular de volta já pros tempos de Rio. Sempre adorei meus amigos, todos. Muita gente de colégio eu encontro até hoje, é ótimo - e um dos motivos porque o apelido "Addam" perdura -, mas não dá pra esquecer de todas as festas da escola, os encontros insanos, as madrugadas viradas e as viagens doidas. Fugir da aula pra nos trancarmos na sala de judô do colégio, tirar os sapatos e ficar zoando e rolando pelos tatames. Finais de semana inteiros lá em casa, só jogando vídeo-game (SuperNES comanda até hoje, valew?) e falando besteiras. A adolescência de viradas em "verdade ou conseqüência" e, impossível esquecer, as noitadas de RPG que infernizavam meus pais, com um bando de gente se empolgando na sala, rolando dados e rabiscando fichas.

Ah, quer saber? Não tenho uma história, específica. Dedico esse post a todo mundo que acrescentou alguma peça ao Lego que foi minha infância. E quero me desfazer de meus livros de RPG e vídeo-games antigos... mas sabe q aperta o peito, tentar?

Postei isso aqui a convite da linda Nanda, que sempre vem me dar um abraço cá pelo Palácio. Não vou convidar cinco pessoas pra fazer isso, pq eu mesmo gosto só de responder aos memes q curto. Então quem gostou, fique à vontade e me avise se o tiver feito.

Existem algumas regrinhas para este meme.
Peço o favor que todos a sigam. São elas:
1. Colocar o(a) link de quem o convidou;
2. Escrever um texto sobre lembranças da infância;
3. Postar o selo do meme dentro do artigo;
4. Se possível, colocar uma foto de quando era criança ou adolescente;
5. Chamar cinco amigos para brincar com você.

9 comentários:

Tyr Quentalë disse...

Ontem de madrugada eu li o meme no blogger da Nanda e vi o convite estendido a ti, como o seu ainda não continha o meme, resolvi passar agora de manhã e qual não é a minha surpresa ao ver uma parte da história de sua infância sendo apresentada novamente. Mas tantas coisas acontecem em nossas infâncias que realmente fica difícil querer ficar apenas em uma história. Fico até a me perguntar: - Por que se desfazer dos livros antigos de RPG?
Afinal, eles fazem parte da história da vida de cada RPGista, traz recordações de noites que sempre elouquecem os pais, que nos olham e repetem o mantra:
- É só uma fase! É só uma fase. MEU DEUS!!! Que seja apenas uma fase!
rs.
Foi deveras gostoso folhear as páginas desse seu álbum de recordações, meu caro Rei!

iara disse...

muito linda a foto!
coisa mais fofa! mas com cara de sapeca...ou seja realmente devia dar um trabalhão. ainda dá! rs
infãncia...ai saudades!
aqui em braólia tem um tal de ir descer pra brincar em baixo do bloco (prédio)...acho que vou fazer esse.
e repito a tyr, par que doar os livros de rpg? se fossem meus guardava ...ao menos pros futuros filhos ou como lembrança gostosa mesmo.
bj

Nanda Nascimento disse...

Bacana demais! Obrigada por aceitar o convite!

Não parece que o mesmo menino a foto era o que armava das piores, parecia ser um anjo.

Beijos e flores!

D'angelo disse...

Nossaaaaaa...eu também já ví uma onça pintada de pertinhooooo!!!! Coisa louca né??? Eu estava num sítio e nunca gritei tanto na minha vida. Coitada da onça..rs..
Saudades milll

Taynar disse...

Ahh, uma lembrança de criança.

Ir pra casa da minha avó e brincar de Gato-Mia. Me esconder debaixo da cama, e esperar algum dos meus primos me achar e descobrir que era eu.
Nossa, bons tempos...!!!

Beijos, Detetive.

Troll disse...

TYR:
Eu só quero me desfazer dos livros de RPG pq estão ocupando muito espaço, juro. *rs*

IARA:
Creia-me, minhas lembranças mais gostosas estão à memória, adoro e cultivo cada uma. E sim, eu era muito sapeca.

NANDA:
O "anjo" da foto era de enlouquecer pais e professores, mas sempre foi um carinha do bem, se quer saber. ;-)

D'ANGELO:
Pois é, por lá eu me lembro tbm de ter visto um jacaré, andando pelo jardim, mas era filhote.

TAYNAR:
Eu brincava demais de gato mia na casa de uma amiga do colégio. O quarto da guria era IMENSO, dava pra brincarmos uma galera, por lá. *rs*

Anônimo disse...

Q delícia de post! Adorei!!!

Anônimo disse...

Esqueci de assinar *rs

Então vamos novamente:

Q delícia de post! Adorei!!

Elza, a Leoa

Lyn Monroe disse...

Q coisa! eu jurava q tinha comentado esse seu ost, mas pelo jeito, nao tinha! rs mas ele ficou na minha mente, e o resultado é q desde entao eu tava pensando se postava ou nao! rs
e nao resisti! postei o meme no confesso! rs
nao perca a chance de me ver aos 5 anos! rs
beijo gde!