Bem-vindos à nova dimensão... seqüenciador de sonhos online.

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Inércia. *dos aposentos do Rei*

Tentei acordar, eu juro... fiz de tudo para lembrar-me que o despertador tocava por um motivo, mas esqueci qual ele seria e ali fiquei, sem abrir os olhos nem pra ver o teto. O corpo e as pálpebras tão pesados que bem podia ter tudo desabado em cima de mim. E eu nem ligando. Tentei acordar porque do lado de fora as coisas já se moviam, e eu cá parado.

Pensei se eu podia apelar, sabe? Segundo a relatividade, para todo o resto eu me movia e a inação era deles. Dormir em movimento, só puxar o edredom de volta e ficar ali, quietinho, me deixando ser arremessado pelo espaço, na velocidade absurda q sempre estive em relação ao sol. Fugir dele, aliás. Quero a noite, fria, escura e confortável. Quero mais motivos pra me esquentar, não suar por aí, dentro de um terno pesado, sob os grilhões de relógios de pulso.

E pensei... por alguns minutos pensei. O dedo no botão que desligara o apito irritante. Havia motivos... não um, mas vários. O mundo lá fora é o de um sol cheio de promessas, muitas vãs e tantas tolas, mas algumas interessantes. E foi quando ficar parado começou a me irritar, profundamente. Não sei do que quis fugir, a cama tão confortável e quentinha... mas vazia. Nem o gato ficara deitado, ali, já queria mais da vida. Me olhava, de perto da porta, prestes a miar por mais. Mais comida, mais água, sempre algo mais.

Então quem sou eu, pra aceitar menos?

DSC01853

5 comentários:

Tyr Quentalë disse...

Muitas vezes o corpo requer um pouco mais de preguiça e esta vomntade louca de fugir do mundo, mas quem somos nós meu caro Rei, para deixar que isso vença nossos corpos e nossas vontades? Não! Somos soberanos, maiores do que isso, mostrando aos pesados grilhões do tempo que não são eles que nos derrotam e sim o contrário.
Que seu dia seja radiante que as promessas que o Sol traz com ele, não sejam todas vãs, mas interessantes ao ponto de quando retornardes ao trono sorria e murmure em tua voz baixa e grave.
- Este foi um bom dia!

iara disse...

tenho uma priguicinha de levantar...
odeio acordar cedo. mas depois que acordo, meu humor até que é legal.
o problema é realmente sair da cama, o despertador toca umas 10 vezes.
e nos dias frios e de chuva dava tudo pra ficar lá agarradinha, principalmente se for em boa companhia...
bjs

Nanda Nascimento disse...

Ao som do despertador já fiquei analisando se abria os olhos ou não, é sempre assim. Mais na verdade a muito para buscarmos e conquistarmos, temos que trocar as pilhas diariamente.

P.S:O layout ficou ótimo, como sempre o palácio está em movimento.E o gato é um charme, deu um toque todo especial a crônica.


Beijos e flores!

Fabio Fernandes disse...

Às vezes programo o despertador pra despertar nas manhãs de sábado, só para ter o prazer de desligá-lo e voltar a dormir.
Mas a cama é um santuário de respeito ao corpo, de introspecção pelos sonhos mesmos q inóspitos, de repouso, de recarga das energias. E a vida, pra mim, é uma eterna aventura já que se pode morrer a qualquer momento. Seu gato está coberto de razão, sempre devemos querer mais.. até de nós mesmos.

(caraca, peguei pesado hein?!)

Massa o post.
Abração.

Troll disse...

TYR:
Todos os dias podem ser dias deliciosos, na verdade. O café só me ajuda a apreciá-los ainda mais. ;-)

IARA:
Adoro dias cinzentos, de chuva e frio. Mesmo q tenha de levantar, para vivê-los. *rs*

NANDA:
Não vejo tanto quanto trocar as pilhas como se fosse ter de dar corda na cabeça, sabe?

FABIO:
Já concluí que o meu gato nunca está errado. Isso é um fato. Muito prazer e volte sempre, meu caro.