Bem-vindos à nova dimensão... seqüenciador de sonhos online.

segunda-feira, 7 de julho de 2008

Freak on a leash *atrás do cartão de visitas*

Auditório 5. O quê diabos eu tô fazendo aqui? Tanta gente me olhando, um mundo de cadeiras sob o peso atento e todas aquelas canetas erguidas sobre pedaços de papel, esperando que eu fale algo. Quem são todas essas pessoas? O quê elas esperam? Que solução eu tenho pra tanta gente assim?

É enquanto os lábios se movem que percebo que sou eu ali no meio, andando por entre fileiras de cadeiras lotadas, deixando as grandes mãos e garras abrirem caminho pela multidão distraída. Parece que só eu noto, o monstro imenso e azul que devasta o auditório em uma sede furiosa de sangue e terror. Ele se frustra, ao ver que não consegue gritos ou sequer o eventual susto. Temo pelo que mais ele possa fazer, enquanto o microfone amplifica meus mantras tão bem ensaiados e toda a sorte de previsões que os gráficos atrás de mim devem comprovar.

As canetas se movem, os olhares se tornando penetrantes a um ponto que parece que buscam qualquer falha, qualquer deslize, menor que seja, em minha voz ou meus gestos. A besta vai perdendo força, aos poucos, vendo que seus golpes e todo o sangue que corre nada fazem àquelas pessoas. A confusão em seu semblante, ante tamanha concentração. E aqui, na frente, minhas palavras se degladiam com todos esses olhos, lentes e intentos... e interesses.

Um terço da platéia jaz em pedaços ou esvai-se em sangue, quando o imenso monstro percebe que essa batalha não será vencida por ele e finalmente busca, também, uma cadeira para sentar-se. O local aos poucos recompondo-se, do que pareceu mero incômodo e passou.

Tanta gente... a mão já parou de tremer e a voz enfim se firmou, mas mesmo assim a tensão continua. Essa adrenalina que faz a mente superar qualquer ensaio e atacar exatamente como deveria. Os olhares de dúvida e desafio caindo, um a um. Em seus lugares, um ar de compreensão e iluminação. Acenos de cabeça em concordância.

Já não sei mais se sou eu quem fala, mas sei que até a besta parou pra ouvir. Há um breve delírio, um estado de superação em que decido que sou Deus. Por algum motivo, todos ali têm que me ouvir. E é quando estou prestes a deixar o monstro tomar o microfone que o último slide na projeção me lembra algo muito importante. Meu nome... e como me encontrar.

cracha 

Só duas palavras: Missão cumprida. *fanfarra de vitória*

9 comentários:

Tyr Quentalë disse...

Como eu havia dito anteriormente, meu amado Rei. Muitos aplausos ainda hão de vir por aqueles que o encontrarão em outros auditórios, em outras palestras, congressos e muitos outros evenetos, mas apalusos também virão de seus leitores, ao que sentirem o nervosismo que assola em momentos como estes em que os passos o levaram ao palanque, crescendo enquanto era julgados pelos olhos impiedosos neste campo de batalha. Verás os olhos percorrerem mais rápidos à medida que a batalha se desenvolve e que sua força vai crescendo mediante ao inimigo. Verás os olhos brilharem à medida que seus brados e sua voz torna-se única e poderosa e de Rei, tornara-se Deus! Onde sua palavra era ouvida e glorificada e brados o saudaram, meu amado, onde empolgados findamos esta leitura e sabemos que tua batalha fora vitoriosa e que muitos outros se curvarão perante tua soberania!

iara disse...

parabéns pela vitória e pela conquista!
pela competência, inteligência e autodomínio demonstrados...
a primeira palestra para um público grande e tão distinto é tarefa das mais difíceis! mas depois da primeira tudo fica mais fácil. e todos os contatos feitos num evento desses renderão frutos maiores! prepare-se, mais desafios vitoriosos chegarão.
sucesso, ainda mais! são meus votos.
bjs

Nanda Nascimento disse...

Quanta adrenalina Troll,

Essa sensação é que motiva, e que te faz sempre querer repetir a dose.

Parabéns!!

Beijos e flores!!

Paola disse...

Olhaaaaaaaaaa!
Parabéns querido.
bjos

Troll disse...

TYR:
Foi curiosa, a forma como a batalha foi tornando-se mais natural a cada golpe, minha amada, até q Monstro e orador fossem novamente um, de certa forma.

IARA:
Agradeço muito, caríssima, pelo apoio, e realmente imagino que as próximas virão ainda mais naturalmente. Foi muito bom, extremamente interessante e estranhamente empolgante, falar à frente de tantos.

NANDA:
Eu nunca tinha feito algo parecido, exceto a eventual apresentação acadêmica, o que nem se compara. A adrenalina desses momentos é boa demais, realmente faz querer mais.

PAOLA:
Obrigado, caríssima.

F. disse...

ei cara... vc é médico tb??

Eu adoro essas adrenalinas de congressos. Sabe aquilo de vc dominar o público? Pois é... adoro.

Depois as perninhas tremem, mas tremem felizes com a vitória.

Beijos ;)

Elza disse...

Tenho um segredo a lhe contar, bem como parabenizá-lo *rs: É sempre um desafio! Nunca irás deixar de encontrar esse monstro! A parte boa, é que ele sempre será dominado por ti! Pelo menos é assim que acontece comigo. Há momentos q a voz poderá trair-te, e mostrar certa hesitação, ou as mãos tremerem, ou ainda o suor gotejar em seu rosto. Porém, creia-me: sempre o dominará e sempre cativarás a platéia, transformando-a.

Mas nada disto é segredo para os que te conhecem realmente!

Qto ao monstro sempre existir, não tema, pois qdo ele não mais se fizer presente, não haverá sentido na batalha, ou teremos nos tornado levianos ou prepotentes, soberbos, talvez.
Ele sempre terá faces diferentes, mesmo que algumas batalhas sejam extremamente familiares.

Mas o melhor de tudo é que a sensação final, da vitória perdurará e sempre o fortalecerá mais e mais!

Adorei!
Sucesso sempre!
Bjos

Troll disse...

FLAVIA:
Não, não sou médico. Sou consultor administrativo médico-hospitalar. Eu sou um desses burros que na vida decidiu q o caminho óbvio não deve ser tão legal assim. Filho de pais médicos, fui atrás de Jornalismo, depois Publicidade, pulei pra Economia e calhei administrando. *rs* Mas eu adorei a adrenalina de palestrar. Muito boa!

ELZA:
Caríssima, de todos os amigos que fiz nesse mundinho virtual, certamente você foi das mais importantes, em muitos aspectos. Agradeço sempre tamanho apoio e você bem sabe que tbm tenho muito orgulho de suas conquistas. Obrigado por tudo, sempre.

Lyn Monroe disse...

carissimo, esse foi so o começo!q bom q venceu o mostro!
tenho certeza do seu sucesso!
Beijos!