Bem-vindos à nova dimensão... seqüenciador de sonhos online.

terça-feira, 1 de julho de 2008

Tambores de Guerra *ecoando pela caverna*

E caminhando pelo seu Domínio, o Troll percebe os ventos da mudança. A forma como vão soprando para dentro e fora do Palácio, como se a caverna respirasse, por conta própria.

O mundo começa a erguer novos desafios e o Rei Troll caminha até seu trono, em busca da velha e desgastada espada, que ainda mantém sua resiliência, apesar de tantos embates que já se lançaram em marés, para desafiar arma e guerreiro. É nestes momentos - do último suspiro antes do salto - que o imenso ser medita sobre aquilo que o rodeia... o que o define, até ali. E o que precisa fazer, para a próxima vitória.

Olhar em volta... nada pode atrapalhá-lo.

--------------------

Na jukebox:

Elect_the_dead 
Serj Tankian - Ellect the Dead
Para quem não reconhece o nome, Serj é o vocalista do System of a Down. Esse CD solo, com o vozeirão que o cara tem, me pegou pela orelha já nos primeiros 10 segundos e não largou mais.


Front Cover
The Offspring - Rise and fall, rage and grace
Há tempos a banda andava devendo um CD assim. Embora Splinter tenha sido um bom álbum, ainda faltava algo que fugisse à linha iniciada com o comercialíssimo Americana.

--------------------

Na tela:

wall-e-poster3[1]
WALL-E
Uma das melhores animações que já fui conferir no cinema, esse longa metragem não está aí para fazer amigos. Ele tem uma história a contar e algumas críticas a fazer, e não faz muita questão de ser sutil. Com seus momentos "ha-ha-ha" para divertir a criançada, é um necessário tapa na cara das gerações mais avançadas. Eu recomendo, certamente. Ah, sim, quase esqueci de algo... *pegando a escopeta e indo matar o Bonequinho crítico*

--------------------

Na prateleira:

dungeons-dragons-the-4th-edition-interview-20070910023215001-000[1] dungeons-dragons-the-4th-edition-interview-20070910023240375-000[1]
Dungeons & Dragons - quarta edição
Se você não sabe o que é D&D, meus parabéns. Você provavelmente não passou boa parte da sua adolescência trancado em salas escuras, rodeado de gente tão estranha quanto você, olhando papéis, folheando tomos de regras e monstros madrugada adentro, rolando dados estranhos, muito além dos cúbicos poliedros de WAR e Banco Imobiliário. O mais famoso RPG (não, seu fisioterapeuta não faz esse) do mundo chega à sua quarta edição deixando um gosto estranho à boca dos jogadores mais antigos e xiitas. Muitas mudanças, um sistema de regras e personagens totalmente novo, muito com o q se acostumar e o que aprender.
Meu veredicto? Após três madrugadas já perdidas imerso no novo sistema, eu gostei. Acho que o jogo ficou mais sincero em seus objetivos, embora a interpretação pareça ter ficado de lado. A verdade é que muitos grupos já não ligavam tanto para a interpretação e queriam mesmo ver os dados - e a porrada - rolando. A meu ver, o jogo decidiu descomplicar as cenas de pancadaria, que é onde a regra realmente manda, e conseguiu. O resto, a interpretação e o clima da história (na opinião deste que vos fala, o mais importante), estão, como sempre estiveram, nas mãos do Mestre de Jogo e dos jogadores.

 

AnnoDomini
Anno Domini - Manuscritos medievais
Essa é a terceira coletânea a figurar um texto meu, será lançada dia 19/07, às 18h, na Casa das Rosas, em Sampa. Infelizmente, não poderei viajar até lá para participar do lançamento, mas quem quiser comparecer ganha a chance de adquirir a antologia de contos medievais a um preço um pouco mais barato. Aliás, no livro eu figuro como ADDAM, não Troll. *rs*

--------------------

Na cabeça:

O quê meu eu adolescente pensaria de quem eu me tornei? Será que me encheria de paulada? Mas eu fico bem demais de terno, afinal. E ei, a alma sempre será metal.  Será q eu fico bem, dançando de gravata? Ou serei desajeitado feito um macaco de terno? Acho q depende da gravata. Já sei onde estou. Já sei quem sou eu. Mas acho q nunca terei certeza de onde vou.
E se..........................................
......................... talvez......
............. ou...............
Ah, FODA-SE!
*zen*

7 comentários:

Tyr Quentalë disse...

Seu Palácio é uma extensão de seu ser e prepara-se junto à você. Aos campos verdejantes sua sombra se estendem e elas escondem em seus farfalhares o seu avanço, amado e poderoso Rei. Sua espada ainda resiste aos tempos e jamais o abandonará em seus momento de batalhas. Nossos reinos tão unidos o levarão escondido até que seja tarde demais para seus inimigos o perceberem.
Paralizados ficarão diante do frio intenso de sua lâmina e de seu murmurar. Rebuscarão o ar à medida que suas armaduras trocam de cor e saberão que não mais estás agrilhoado meu Rei e Soberano Senhor!
Ao respirar de sua caverna que tornou-se um Palácio, Arcádia mais uma vez bradará seu canto de guerra e terríveis tornar-se-ão as garras negras e verdes das asas de quem o acompanha.
Beijos com amor,
de sua Rainha e Amazona.

iara disse...

gostei das indicações...
só me senti meio digamos, junto aos meus filhos...tá ok, meu cunhado tb adora..rs
mas gostei da música do cara do system of a down, mas não consigo gostar do system (os meninos aqui de casa adoram..rs), animações sou obrigada a ssistir a todas , mas adorei o wall-e, indico tb.
offspring eu e os meninos adoramos. faz parte da trilha sonora do carro,direto. disco novo? tamos na área.
gravata? fuffs tem uma...sim e SÓ uma, de pateta, pluto, whatever,..se quiser ele empresta..ah ele tb não sabe dançar...rs...
bjs

Troll disse...

TYR:
Amada esposa, foi quase que ao teu redor que construí esse castelo, como se das pedras que insistiam em deslizar na minha direção, e é por isso que tanto dele se torna parte de mim e de ti. As batalhas vêm, elas sempre virão. E eu sempre vencerei todas, não há outro caminho.

IARA:
Eu sou um moleque de 14 anos em um corpo de 26, essa é a verdade. Sou péssimo em tanta coisa e bom em tantas outras. Eu danço razoavelmente bem, pra um homem, a questão ali é se eu quero ser um macaco de terno, no meio da pista de dança. *rs*

p disse...

Amigo, não ligue para o que o povo fala...ligue o botão mesmo.
Obrigada por passar sempre no meu espaço.
Bjos

Tyr Quentalë disse...

Amado Marido,
O Castelo e os prados verdes crescem ao nossos redores e mesmo que as pedras desse palácio tanto seu, quanto nosso, teimem em deslizar em sua direção, irás perceber as asas que crescem ao seu redor, segurando as pedras que caem em meio à batalhas intensas, ferindo as próprias asas e sorrindo com um intenso brilho no olhar. Batalhas sempre virão, mas sempre terás ao seu lado a devoção desta sua esposa que mergulhará nas batalhas junto a ti, meu amado Rei.

ღ mey ♥¨`*•.¸¸.•*´¨♥ღ disse...

seu blog é no minimo diferente dos que já tinha visto... adorei as seções... bjs

Troll disse...

PAOLA:
Caríssima, não se preocupe. Eu costumo andar com o meu botão apertado, pro mundo, raramente eu ligo para o q me incomoda, por mais de 10 segundos. *rs* Se bem que, claro, depende do dia.

TYR:
Minha amada esposa, eu tenho a certeza dessa nossa força e sei que pedra alguma me derrubará ou batalha alguma nos derrotará, enquanto estivermos juntos.

MEY:
Seja muito bem-vinda a este meu canto da blogosfera. As paredes de pedra do Castelo Elétrico estão sempre ecoando coisas novas, convido-a a voltar sempre e mais. Seu blog tbm me agradou muito, achei bem interessante e variado, em seus assuntos.