Bem-vindos à nova dimensão... seqüenciador de sonhos online.

domingo, 20 de julho de 2008

Viva e deixe... *sussurrado pelo andarilho*

Venham, os curiosos e corajosos.

Abro a porta lateral do agora obscuro Palácio Elétrico e desafio aqueles que decidirem vencer a escuridão, pelas masmorras úmidas e bolorentas, a me seguirem em direção à biblioteca, onde o que resta de luz das palavras do Rei Troll ainda perdura, jamais vencida pelos sombrios seres do mundo. As escadarias são longas e traiçoeiras, cada passo é um ato de tenacidade. Atravessemos o labirinto de espelhos, em direção à torre da esperança, onde os antigos tomos repousam.

Cautela, viajantes... a maior parte do Palácio é agora lar de sombras e monstros terríveis. E o Rei percorre sonâmbulo todos os seus salões. Sintam o tremer de seus passos e saibam estar longe, quando se aproximarem demais. Abram cada tomo com todo o cuidado, vejam o que quiserem... mas pisem leve. E ouçam mais estas palavras de aviso...

--------------------

Eu acho curioso perceber a quantidade de gente que sabe viver! Não, é sério... sempre que você está chateado ou com algum problema, descobre como tem gente à sua volta que sabe exatamente onde você errou e o que deveria fazer ou ter feito. Ah, normalmente são as pessoas que também repetem um bocado o quanto não gostam de dar conselhos. Ironia é fogo.

Mas ao menos fica fácil notar que nada pelo que se está passando é novo, sabe? Existe uma multidão que já passou pelas exatas mesmas situações e sensações e esse povo todo de alguma forma caiu na sua vida, possivelmente pra te ajudar. O universo é realmente tão redondinho e previsível, afinal. Aliás, ai dos que me chamarem ingênuo! Eu só não creio em coincidências, não é mesmo?

De qualquer maneira, opinar é um esporte, certo? Se não é, parece. Tem gente que parece só esperar você abrir a boca pra vir tentar se provar mais sábio e experiente. Desautorizar toda a sua situação com uma frase feita do gênero: "o que não te mata, te deixa mais forte", ou "dor é uma coisa psicológica". Tudo bem, então fecha os olhos e me deixa arrancar seu braço fora, vamos ver o quão psicológico é isso, meu amigo. Fora que se estancar o sangramento rápido, você não morre. Fica mais forte, palmas pra vc. Concordo, essas frases lá têm sua hora certa. Mas tem horas que elas não são exatamente o tipo de ajuda que se espera.

Sabe ouvir? Basta. É sério! Muita gente precisa pagar alguém, um terapeuta, só pra ter quem as ouça sem ficar dando pitaco a cada dois segundos. É pra sair do sistema, é pra tirar as coisas da cabeça e algumas vezes ouvir o quão ridículas podem soar as próprias palavras. De resto, passa. Falar sobre si mesmo é meditar nas próprias atitudes.

4 comentários:

Tyr Quentalë disse...

Ah! Meu Rei Troll! suspiro
Quão ferido anda seu corpo, quão sombrios andam os corredores desse Palácio. Assim como ti, sei qual é a sensação com dizeres como estes citados em teu Palácio. Fantasmas que apenas crescem ao nosso redor, quando ainda sentimos as lacerações tão frescas em corpo e alma. Mesmo que veja esta Rainha, que às vezes parece silenciosa, às vezes pensativa, ou apenas a olhar um Horizonte Perdido, saibas que as asas mesmo agora em cores tão sóbrias, ainda irão te abraçar, te amparar e zelar por ti enquanto caminhas em passos pesados e sonâmbulos.

iara disse...

que bom tê-lo de volta meu amigo!
gosto sempre dos seus escritos!
eu tinha até feito um post sobre aconselhar...farat de me perguntarem o que fazer quando quero calar. mas sei tb que falo quando não devo, então pago pela minha boca.
mas como ouvi de um amiga procuro seguir isso que achei bastante sábio.

En el sur de México vivieron los Toltecas, y tenian 4 acuerdos:
1. SE IMPECABLE con tus palabras.
2. NO te tomes nada personalmente.
3. NO hagas suposiciones.
4. HAZ SIEMPRE lo máximo que puedas.

inté.

Flah disse...

Os ferimentos mais profundos também cicatrizam. Quando o sangue desiste de jorrar e se conforma com seu destino de pulsar dentro das veias, estamos prontos para novas batalhas. E a verdade é que ninguém sabe qual será o saldo delas - pois cada batalha é única e individual. Pena haver quem se acredite capaz de racionalizar as batalhas alheias - esses se esquecem das suas próprias lutas, e acabam feridos pela própria espada.

Beijo ;)

Elza disse...

Biblioteca? Eu ouvi biblioteca? *sorrindo* Pouco importa, que sejam úmidas e bolorentas as masmorras do Palácio... o mais importante é que sigamos pelas diversas passagens secretas que devem existir... ou pelas frestas que podem ser transformadas em passagens...

Cautela? Cautela e juízo em demasia parecem ser minha mais forte camisa de força *perdendo-me em pensamentos*

De qqr forma, estou aqui. Estamos aqui novamente e os cadeados vão ficando pra trás, obsoletos ao menos pra nós que queremos ousar.