Bem-vindos à nova dimensão... seqüenciador de sonhos online.

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Catarse *gritam os bufões do Palácio*

E pelo tremor, através das planícies, vi
acordava então o avatar de todo caos.
Força antiga, furiosa, levantando em chamas,
desordenados urros, de vidas que nem sei.
.
E a ira me queima as narinas, em negra febre.
.
Que sandice vem e me ergue, qual fera mítica?
Que vida será que eu estou vivendo agora?
De qual conto de terror saí, herói sem esperança?
De onde sopram trombetas, nessa trilha canhestra?
.
E a ira me arde os olhos, em rubra peste.
.
De quem é este sangue em minhas mãos?
Só me lembro dos dedos rasgando a carne,
o quebrar dos ossos e o ceder da fina pele.
De quem são as entranhas, caídas pelo chão?
.
E a ira me nubla a mente, em verde praga.
.
E de todas as perguntas, uma tola certeza.
E dela, e nela, eu me ergo, o invencível.
E ainda sou eu, mais que insano, mais que altivo.
E sempre serei homem, criança, guardião e besta.
.
E a ira me abre o peito, em alva panacéia.
.

10 comentários:

Tyr Quentalë disse...

Eis que as planícies tremem diante de vossos olhos, mostrando a ti uym caos imcompreenssível para muitos olhos que hão de rodear-te, mas nem sempre nas sombras encontrará a insanidade. Em meio a ira que muitas vezes nos fortalece, frente às batalhas das quais apenas recordamos dos gritos, agora podes ver o chão que se enche perante teus olhos.
Ergue soberano em todas as tuas formas, mais fortalecido do que ousas imaginar. Deixai teu grito reverberá, pois não só de ira tuas veias hão de se encher.
Hail! Hail! Hail!
Hoje não são minhas asas que aqui se abrem, mas que se guardam perante a soberania da criança, do homem, da besta e principalmente...
Do Guardião!

Tyr Quentalë disse...

Errata:
Eis que as planícies tremem diante de vossos olhos, mostrando a ti um caos incompreenssível

iara disse...

muito belo poema meu amigo!
bjs.

blog novo:

http://kaleydoscopeeyes.blogspot.com/

Lyn Monroe disse...

Belissimo texto carissimo!
gosto como vc muda o estilo sempre!
beijos!

Poisongirl disse...

Quanta ira meu caro!
Sobreviver , se reinventar são ações dos valentes...

Nanda Nascimento disse...

Mais um lindo poema apesar de toda ira, *rs*.

Beijos e flores!!

D'angelo disse...

Texto tenso Hein!!!! Bjooooo

Taynar disse...

E lendo eu ficava tentando me lembrar, sem sucesso, porque eu sinto que conheço ess rei, de que história será que ele vem?

Beijos, Troll

Lee Holloway disse...

Vindo aqui me redimir...

Belo poema, Dr. Troll. Adoro textos cheios de ira.

Beijos,

(DS)Lee

Troll disse...

TYR:
Em todos os momentos, sou esse caleidoscópio indefinível, imagens tantas q poucas pessoas souberam decifrar.

IARA:
Ótimo que tenhas gostado. Estou linkando seu blog novo, aqui, viu?

LYN:
São vários estilos, pois são muitas facetas neste ser indefinido. *rs*

POISON:
Abraçar a mudança, se deixar levar pelas vagas do tempo.

NANDA:
A ira tbm é parte de todos nós. Resta-nos saber como mantê-la sob o tapete. *rs*

D'ANGELO:
Texto tenso em momentos de mudança e meditação, caríssima.

TAYNAR:
Talvez de alguns outros momentos que aqui nem caibam lembrar. Tbm não sei.

LEE:
Dra, caríssima, é sempre um imenso prazer tê-la por aqui. Cuide-se, sempre.