Bem-vindos à nova dimensão... seqüenciador de sonhos online.

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Yeats *em sussurros no rio do tempo*

HE WISHES FOR THE CLOTHS OF HEAVEN
By W.B. YEATS (1865-1959)

Had I the heaven's embroidered cloths,
Enwrought with golden and silver light,
The blue and the dim and the dark cloths
Of night and light and the half-light,
I would spread the cloths under your feet:
But I, being poor, have only my dreams;
I have spread my dreams under your feet;
Tread lightly because you tread on my dreams.

3 comentários:

iara disse...

sou suspeita para dizer algo.
adoro yeats.
na verdade o conheci no filme socieddae dos poetas mortos e fui atrás dos livros (naquele anos 80/90 não havai internet) e me apaixonei.

linda escolha. bjs

iara disse...

umas das coisas que tive de fazer ao vir pra casa da minha mãe foi empacotar e guardar meus amados livros em outro lugar.
e não consigo me lembrar dos nomes dos meus poems preferidos. mas acho que um combina com vc, meu amigo. segue.

The sorrow of love
by William Butler Yeats

The quarrel of the sparrows in the eaves,
The full round moon and the star-laden sky,
And the loud song of the ever-singing leaves,
Had hid away earth’s old and weary cry .

And then you came with those red mournful lips,
And with you came the whole of the world’s tears,
And all the trouble of her labouring ships,
And all the trouble of her myriad years.

And now the sparrows warring in the eaves,
The curd-pale moon, the white stars in the sky,
And the loud chaunting of the unquiet leaves,
Are shaken with earth’s old and weary cry.

Tyr Quentalë disse...

Ontem me mostraste esta passagem estimado Rei.
Em um momento em que eu enfrentava uma tempestade e batalhava para manter-me em meus passos leves.
Hoje compreendo que eram as paredes de teu Castelo que me chamavam e quase em forma etérea, teu castelo pode sentir as minhas mãos desenhando as letras que talhaste aqui.