Bem-vindos à nova dimensão... seqüenciador de sonhos online.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Decisão *impulso, do alto do penhasco*

Ele não adentrava aquela floresta com a intensidade com qual costumaria correr, ao lado de alguém como ela. Não... ele caminhava com cuidado, sentindo que ali não tinha espaço para abrir suas asas completamente. De certa forma, achava que crescer tanto, nelas, poderia parecer um desrespeito ao local, às árvores que se avolumavam ao redor. Aquele lugar era delas. Delas e dela.

Seguia a figura à frente, por vezes se pegando em admirar aqueles cabelos avermelhados, ao reflexo da pouca luz de um céu cinzento, que vinha ter com a pele, por entre as folhas. Para estar ali, ele se desarmara, mas não se sentia desprotegido. Havia algo do olhar da bruxa que lhe mostrara não haver perigo. De alguma forma, ele já havia começado a sentir o que ela vinha lhe ensinar. A pele formigava por dias e o anjo jamais perdia a energia daqueles toques. Estranho. Pois quando estava à presença dela, percebia tão claramente que os dois trocavam fagulhas, pelo ar.

- Saudade?

Um sorriso despontava, contra a sua vontade, enquanto ele respirava fundo e olhava em volta, uma vez mais. Mas era aqui q ele se deixaria tocá-la de novo, então. Suas mãos ávidas buscavam aqueles cabelos e deslizavam toques pelo rosto macio. Aquela pele que, de tão gostosa, acolhia os dedos, e não o contrário. O beijo explodia entre os dois e tudo por um momento parava. Tenso, ele demorava a perceber... mas aquele lugar dava espaço às asas. Como se as ávores se tornassem tbm parte delas.

- Tentando se controlar, de novo?

Ela olhava-o com aquele ar inquisidor capaz de fazer alguém confessar crimes que nem tivesse cometido. Mas ele sorria de volta, resoluto, e olhava fundo naqueles olhos, q iam mudando, sultilmente. "Nem um pouco. Só percebendo. Aprendendo um pouco mais. Quero mais." Aquela ambição a agradava, ao menos era o que entendia daqueles olhos tão escuros. Mal sabia q a agradava pela naturalidade com a qual soava. Como se ele voltasse, para clamar o que já era seu.

- Então se solta, vai... vem comigo.

No novo abraço, era como se o mundo se curvasse a eles. O rosto dela, com um brilho novo, intenso, perfeito, enquanto tudo perdia a importância, no turbilhão de duas vidas que buscavam a plenitude do caos. Unidas, enfim. Os temores já superados, o assombro ainda parte de ambos. Naqueles movimentos, havia uma troca sutil de olhares, por vezes espantados, por vezes momentos de descoberta. Tudo explodia, não parava. Ser intenso não por um breve momento, mas por tantos e todos. Só voltava a si já deitado sobre aquele corpo que o aconchegava, perfeito.

- A gente precisa ir.

Todo o tempo pesou a imensidão de seus segundos, sobre ele, e o anjo respirou fundo, recolhendo as asas. Vendo a floresta perder forma, rendendo-se às paredes, ao concreto, granito e aço. "Sim, vamos."

O banho, a pele tentando ser só pele, de novo. Mas ela já tornara isso impossível.

 
Earth warrior, de ~VaLerka-Ru no deviantART.

8 comentários:

iara disse...

porque certas horas insistem em findar? é tão bom ficar na floresta...bjs
;-)

Tyr Quentalë disse...

Conheço uma floresta de espinhos, uma em que eu, Anjo. respeito o local pela Rainha que reside lá.
Desconheço a floresta onde Ti e a Bruxa percorrem, mas um dia, ainda hei de adentrar.
Com devido respeito e devida permissão, sou apenas Anjo que observa, pois minhas asas voam longe e venho aqui saudar, Anjo e Bruxa que encantam a floresta de um novo Reino.

Mai disse...

Conheço alguns mitos de florestas. Conheço algumas florestas humanas.

Belo texto!

Carinho, sempre.

Troll disse...

IARA:
As coisas precisam findar ou não viveríamos para o resto. A longo prazo, tudo se tornaria ilusório e frágil, e eu jamais quereria isso para o que venho sentindo.

TYR:
Novas descobertas, guardiã. Sempre foram parte de nossa natureza, sabes disso.

MAI:
Mitos, criações, novos e velhos espelhos para refletir o mundo em suas próprias tendências e em nossos temores. Mas sempre uma chance nova de vivência, tão bela.

Nanda Nascimento disse...

...fazer parte do meio, se misturar a floresta ou melhor fazer parte dela. Gosto desta intensidade imbuída em seus textos.

Beijos e flores!

Poisongirl disse...

Essa entrega tão verdadeira , tão absoluta me honra a cada novo momento.

Porque são tantos ( e todos!)momentos que nos invadem além da pele , além dos sentidos, além do comumente conhecido.

Desconhecer limites Meu Anjo.
Ser plena com você , de asas abertas.

Reticências disse...

Acho que o mundo realmente se curva diante de um abraço sincero.

Troll disse...

NANDA:
Esta intensidade vem ganhando o tom e as cores de um amor de descobertas, caríssima. Bom que esteja gostando. :-)

POISON:
Desconhecer limites, crescendo um no outro, descobrindo que não há pq parar de crescer, de ser e aprender. O teu amor me honra em cada palavra, em cada gesto e cada toque. Em cada suspiro compartilhado e nosso.

RETICÊNCIAS:
O mundo se curva diante de sentimentos movidos dessa sinceridade, se curva diante das demonstrações de liberdade e da força desses impulsos libertos.